Como garantir a segurança condominial?

Se garantir a segurança é sempre uma questão central nos condomínios, a preocupação se acentua mais durante o período das férias. Crianças com horários livres, folga no trabalho, festas de final de ano, moradores que viajam, condôminos que recebem hóspedes e visitas: essas são apenas algumas das situações que exigem a atenção de síndicos e administradoras.

Vale lembrar, ainda, que a temporada de férias é sinônimo de menos pessoas circulando pela cidade e imóveis desocupados, o que aumenta o índice de criminalidade e exige o reforço da segurança condominial.

Para ajudar você a se preparar para a tarefa, reunimos dicas de ações e estratégias eficientes, a seguir. Acompanhe!

Segurança condominial: 10 estratégias para administradores e síndicos

1. Comunicação com a gestão: oriente os condôminos que vão viajar

A segurança começa na transmissão de boas condutas para os condôminos. Os moradores que forem viajar e deixar seus imóveis desocupados, por exemplo, devem ser devidamente orientados.

É importante que eles informem ao síndico, por exemplo, qual o período que ficarão fora. Dessa forma, a gestão pode ficar atenta a qualquer movimentação suspeita no imóvel.

Porteiros e zeladores também devem se inteirar a respeito de moradores ausentes. Isso ajuda a reduzir o risco de permitir o acesso de visitantes a unidades desocupadas.

2. Cadastre os veículos dos moradores que vão se ausentar do condomínio

Outra medida relacionada aos condôminos que vão viajar diz respeito aos veículos. O ideal, para garantir a segurança dos mesmos, é cadastrar aqueles que vão permanecer na garagem do prédio na ausência dos moradores.

As informações do cadastro devem ser compartilhadas com zeladores e porteiros. Dessa maneira, se for observada qualquer movimentação suspeita (como um carro saindo das dependências do condomínio sem autorização), é possível tomar as medidas cabíveis com mais facilidade.

3. Aposte em equipamentos de segurança, sempre

Se o condomínio ainda não conta com equipamentos de segurança e monitoramento eficazes, a hora é agora. Lembre-se: os meses que englobam as festas de final de ano e as férias escolares, de fato, são períodos de grande vulnerabilidade para as propriedades.

Nesse contexto, é crucial que os investimentos em segurança condominial contemplem bons equipamentos, que são constantemente atualizados no mercado.

Cerca elétrica, câmeras de segurança, iluminação por sensores automáticos, alarmes 24 horas, biometria para controle de entrada e sistemas de monitoramento a distância estão entre os artefatos mais visados pelas administradoras de condomínio.

4. Oriente os condôminos sobre aluguel por temporada

Ah, o Airbnb… A plataforma online de hospedagem (que funciona no esquema de aluguel por temporada) tem causado muitos conflitos nos condomínios. Com hóspedes “estranhos” circulando no condomínio, de fato, a preocupação com segurança aumenta.

Já tratamos, neste artigo, que a legislação não proíbe a prática. Então, o que fazer para garantir a proteção aos condôminos?

Funcionamento do Airbnb

Primeiro, vamos relembrar o funcionamento da plataforma: o proprietário cadastra seu imóvel ou somente um quarto, alimentando o espaço com fotos, valores, endereços e todas as regras de acomodação. Os usuários do Airbnb, por sua vez, podem alugar o espaço para curta temporada por meio de interação e acordo com os proprietários.

É importante destacar que a locação via Airbnb só é permitida por até 90 dias (dessa forma, pela lei, ela não descaracteriza sua função residencial). Nesse cenário, não é difícil imaginar que o interesse pelas locações no esquema Airbnb aumente no período das férias, quando as pessoas desejam viajar e reservar hospedagens econômicas.

Orientando os condôminos

Muitos condôminos podem torcer o nariz diante da perspectiva de ter hóspedes estranhos circulando no condomínio durante as férias. É possível, porém, manter a segurança e a convivência com a devida orientação de todos.

Exemplos de ações eficientes nesse sentido são:

  • convocar assembleias condominiais para apresentar e discutir o Airbnb juntamente aos moradores;
  • estudar os mecanismos de segurança da plataforma e apresentar para os condôminos;
  • exigir que os futuros hóspedes forneçam documentos de identificação na portaria;
  • instruir o anfitrião a avaliar o perfil dos futuros hóspedes no sistema do Airbnb;
  • demandar que o locatário forneça a lista de hóspedes e outros dados ao condomínio;
  • instruir o futuro anfitrião a educar seus hóspedes sobre as regras condominiais;
  • orientar os locatários sobre o número limite de hóspedes;
  • sempre priorizar o diálogo e o bem-estar comum na mediação de possíveis conflitos.

Leia Mais: Airbnb em condomínio: boas práticas para orientar os condôminos

5. Invista em um bom sistema de controle de acesso

Como mencionamos, o fluxo de pessoas tende a mudar (e se diversificar) no condomínio durante o período de férias. Visitantes para festas de final de ano, hóspedes, moradores que deixam seus apartamentos para viajar, maior movimentação de crianças e animais domésticos… O “entra e sai” realmente se modifica nessa época.

Não por acaso, aumentar o controle sobre quem chega e quem deixa o condomínio é fundamental. A boa notícia é que o mercado condominial dispõe de softwares cada vez mais inovadores para controle de acesso, aumentando a segurança e a privacidade dos condôminos.

Leia Mais: Segurança em condomínio: 7 procedimentos para adotar na portaria

6. Tenha cuidados especiais com a segurança das crianças

Estar no período de férias também significa ter mais crianças à solta pelo condomínio. De recesso escolar, os pequenos tendem a circular e brincar pelos espaços da edificação com muito mais frequência nessa época do ano.

Por esse motivo, é essencial que a gestão lance mão de algumas ações. O cuidado com o deslocamento de veículos nas áreas comuns e a proteção de piscinas e áreas de lazer, por exemplo, devem ser considerados para manter a segurança.

Entre as medidas recomendadas para assegurar um ambiente seguro para os pequenos, podemos incluir:

  • ficar atento ao acesso e à limpeza das piscinas (cercas de proteção e piso antiderrapante no entorno são determinações da lei);
  • exigir a supervisão/presença de um adulto durante a utilização das piscinas, a depender da faixa etária;
  • manter escadas sempre bem iluminadas (sensores automáticos são ótimas opções);
  • se houver manutenção dos elevadores, tomar muito cuidado com a sinalização da área, evitando acidentes;
  • definir horários para o uso do playground, permitindo mais controle para limpeza, inspeção e fechamento da área (atenção: se a manutenção da área de brinquedos não estiver em dia e houver acidente, a gestão do condomínio pode ser responsabilizada);
  • afixar, em local visível, as normas de utilização da área de brinquedos;
  • não trancar portas de acesso aos degraus ou impedir sua abertura.

Leia Mais: Como criar regras eficientes de segurança para crianças no condomínio?

7. Treine seus funcionários

Um condomínio contém diversos funcionários que ajudam nas atividades cotidianas e funcionamento do prédio, sendo eles porteiros, jardineiros, faxineiros, síndicos, entre outros. Sendo assim, é importante que todos os trabalhadores estejam atualizados com relação às melhores e mais eficazes práticas de segurança.

Dessa forma, eles conseguirão prever alguma situação de risco e agir da melhor forma possível. Portanto, realize treinamentos e palestras para preparar todos os funcionários para agir diante de alguma ocorrência que coloque em risco a segurança do condomínio.

É importante ressaltar que se use uma linguagem mais facilitada e que seja entendida por todos. Além disso, o síndico deve sempre estar pronto para tirar as dúvidas. Com certeza, você terá resultados altamente positivos com relação a aspectos de segurança.

8. Cadastre um controle de acesso

O acesso externo ao condomínio pode, muitas vezes, trazer riscos para a segurança dos moradores de um prédio. Por isso, é muito importante colocar em prática um controle de acesso que permita a entrada somente de pessoas autorizadas dentro da propriedade.

Esse controle de acesso pode ter três segmentos, que podem ser muito eficientes para a segurança, sendo eles:

  • controle físico: fica sob responsabilidade de um porteiro, segurança ou guarda do condomínio;
  • controle mecânico: feito por meio de chaves e fechaduras de alto padrão que não podem ser facilmente violadas;
  • controle eletrônico: uso de sistemas com biometria dos moradores ou cartões de acesso para liberação da passagem.

Analise a necessidade do condomínio e os recursos disponíveis para apostar na melhor alternativa para controle de acesso.

9. Cadastre empresas terceirizadas

É importante monitorar o acesso de empresas, prestadores de serviços e funcionários do condomínio. Afinal de contas, são terceiros que têm relação com o prédio. Sendo assim, faça o cadastro de todas as pessoas que têm esse acesso, com dados necessários para identificação deles. Dessa forma, você saberá quem está circulando pelas dependências do prédio.

Entre em contato com todos os parceiros, colete as informações e explique sobre a nova política de segurança do condomínio, para que o processo seja mais eficiente e livre de burocracias.

10. Invista em tecnologia de segurança

Quando se pensa em segurança e facilidades para o dia a dia, é sempre viável contar com a ajuda da tecnologia. Afinal de contas, ela veio para facilitar a nossa vida e vários aspectos do cotidiano. Com relação a um condomínio seguro, controle de acessos e cadastro de terceiros, citados nos tópicos anteriores, você pode aliá-los à tecnologia.

Para isso, você pode contar com a ajuda do Portaria21, que é um software muito eficiente no controle de acesso e conta com um cadastro bastante rico em conteúdo. Por meio dele, é possível ter até uma captura de imagens e consultas direcionadas a informações precisas a respeito de tudo o que se passa na portaria. Tudo isso ajuda a levar mais privacidade e um monitoramento mais eficaz para os condôminos.

Esse programa também é muito fácil de ser utilizado, permitindo um cadastro completo de moradores, visitantes, funcionários, prestadores de serviços, veículos, animais, com rápida identificação de todos que transitam pelas dependências do prédio. Uma ferramenta altamente segura que reduz em até 99% as situações de risco para os moradores.

Utilizando esses recursos, você poderá garantir sempre a segurança condominial do seu prédio!

E então, gostou das informações? Veja aqui um pouco mais sobre o Portaria21 e como ele pode ser usado!

×

Hello!

Click one of our representatives below to chat on WhatsApp or send us an email to operacoes@groupsoftware.com.br

× Como posso te ajudar?
como reduzir a inadimplênciaconselho fiscal condomínio