Como garantir a segurança condominial durante as férias?

Se garantir a segurança é sempre uma questão central nos condomínios, a preocupação se acentua ainda mais durante o período das férias.

Crianças com horários livres, folga no trabalho, festas de final de ano, moradores que viajam, condôminos que recebem hóspedes e visitas: essas são apenas algumas das situações que exigem a atenção de síndicos e administradoras.

Vale lembrar, ainda, que a temporada de férias é sinônimo de menos pessoas circulando pela cidade e imóveis desocupados, o que aumenta o índice de criminalidade e exige o reforço da segurança condominial.

Para te ajudar a se preparar para a tarefa, reunimos dicas de ações e estratégias eficientes a seguir. Acompanhe!

Segurança condominial nas férias: 6 estratégias para administradoras e síndicos

1 – Comunicação com a gestão: oriente os condôminos que vão viajar

A segurança começa na transmissão de boas condutas para os condôminos. Os moradores que forem viajar e deixar seus imóveis desocupados, por exemplo, devem ser devidamente orientados.

É importante que eles informem ao síndico, por exemplo, qual o período de tempo que ficarão fora. Desta forma, a gestão pode ficar atenta a qualquer movimentação suspeita no imóvel.

Porteiros e zeladores também devem se inteirar a respeito de moradores ausentes – desta forma, não há risco de permitir o acesso de visitantes a unidades desocupadas.

2 – Cadastre os veículos dos moradores que vão se ausentar do condomínio

Outra medida relacionada aos condôminos que vão viajar diz respeito aos veículos. O ideal, para garantir a segurança dos mesmos, é cadastrar aqueles que vão permanecer na garagem do prédio na ausência dos moradores.

As informações do cadastro devem ser compartilhadas com zeladores e porteiros. Dessa maneira, se for observada qualquer movimentação suspeita (como um carro saindo das dependências do condomínio sem autorização), é possível tomar as medidas cabíveis com mais facilidade.

3 – Aposte em equipamentos de segurança, sempre

Se o condomínio ainda não conta com equipamentos de segurança e monitoramento eficazes, a hora é agora.

Lembre-se: os meses que englobam as festas de final de ano e as férias escolares, de fato, são períodos de grande vulnerabilidade para as propriedades.

Nesse contexto, é crucial que os investimentos em segurança condominial contemplem bons equipamentos de segurança, que são constantemente atualizados no mercado.

Cerca elétrica, câmeras de segurança, iluminação por sensores automáticos, alarmes 24h, biometria para controle de entrada e sistemas de monitoramento a distância estão entre os artefatos mais visados pelas administradoras de condomínio.

4 – Férias também são época de Airbnb: oriente os condôminos sobre aluguel por temporada

Ah, o Airbnb… a plataforma online de hospedagem (que funciona no esquema aluguel por temporada) tem causado muitos conflitos nos condomínios.

Com hóspedes “estranhos” circulando no condomínio, de fato, a preocupação com segurança aumenta. Já tratamos, neste artigo, que a legislação não proíbe a prática. Então, o que fazer para garantir a proteção aos condôminos?

Funcionamento do Airbnb

Primeiro, vamos relembrar o funcionamento da plataforma: o proprietário cadastra seu imóvel ou somente um quarto na plataforma, alimentando o espaço com fotos, valores, endereços e todas as regras de acomodação.

Os usuários do Airbnb, por sua vez, podem alugar o espaço para curta temporada através de interação e acordo com os proprietários. É importante destacar que a locação via Airbnb só é permitida por até 90 dias (dessa forma, pela lei, a locação não descaracteriza sua função residencial).  

Nesse cenário, não é difícil imaginar que o interesse pelas locações no esquema Airbnb aumente no período das férias, quando as pessoas desejam viajar e reservar hospedagens econômicas.

Orientando os condôminos

Muitos condôminos podem torcer o nariz diante da perspectiva de ter hóspedes estranhos circulando no condomínio durante as férias. É possível, porém, manter a segurança e a convivência com a devida orientação de todos.

Exemplos de ações eficientes nesse sentido são:

  • Convocar assembleias condominiais para apresentar e discutir o Airbnb juntamente com todos os moradores;
  • A plataforma conta com alguns mecanismos de segurança. O ideal é que a administração estude esses mecanismos e os apresente para os condôminos;
  • Exija que os futuros hóspedes forneçam documentos de identificação na portaria;
  • Instrua o anfitrião a avaliar o perfil dos futuros hóspedes no sistema do Airbnb;
  • Demande que o locatário forneça a lista de hóspedes e outros dados ao condomínio;
  • Instrua o futuro anfitrião a educar seus hóspedes sobre as regras condominiais;
  • Oriente os locatários sobre o número limite de hóspedes;
  • Sempre priorize o diálogo e o bem-estar comum na mediação de possíveis conflitos.

Leia Mais: Airbnb em condomínio: boas práticas para orientar os condôminos

5 – Invista em um bom sistema de controle de acesso

Como já mencionamos, o fluxo de pessoas tende a mudar (e se diversificar!) no condomínio durante o período de férias.

Visitantes para festas de final de ano, hóspedes, moradores que deixam seus apartamentos para viajar, maior movimentação de crianças e animais domésticos… o “entra e sai” realmente se modifica nessa época.

Não por acaso, aumentar o controle sobre quem entra e quem deixa o condomínio é fundamental. A boa notícia é que o mercado condominial dispõe de softwares cada vez mais inovadores para controle de acesso, aumentando a segurança e a privacidade dos condôminos.

Leia Mais: Segurança em condomínio: 7 procedimentos para adotar na portaria

6 – Tenha cuidados especiais com a segurança das crianças

Estar no período de férias também significa “crianças à solta” pelo condomínio. De recesso escolar, os pequenos tendem a circular e brincar pelos espaços da edificação com muito mais frequência nessa época do ano.

Por esse motivo, é essencial que a gestão lance mão de algumas ações. O cuidado com o deslocamento de veículos nas áreas comuns e a proteção de piscinas e áreas de lazer, por exemplo, devem ser considerados para manter a segurança.

Dentre as medidas recomendadas para assegurar um ambiente seguro para os pequenos, podemos incluir:

  • Ficar atento ao acesso e à limpeza das piscinas (cercas de proteção e piso antiderrapante no entorno são determinações da lei);
  • Exigir a supervisão/presença de um adulto durante a utilização das piscinas, a depender da faixa etária;
  • Manter escadas sempre bem iluminadas (sensores automáticos são ótimas opções);
  • Se houver manutenção dos elevadores, tomar muito cuidado com a sinalização da área, evitando acidentes;
  • Definir horários para o uso do playground, permitindo mais controle para limpeza, inspeção e fechamento da área (atenção: se a manutenção da área de brinquedos não estiver em dia e houver acidente, a gestão do condomínio pode ser responsabilizada);
  • Afixar, em local visível, as normas de utilização da área de brinquedos;
  • Não trancar portas de acesso aos degraus ou impedir sua abertura.

Leia Mais: Como criar regras eficientes de segurança para crianças no condomínio?

Férias são temporadas especiais e, portanto, exigem cuidados especiais por parte da gestão do condomínio. A segurança condominial é tópico indispensável da pauta do síndico e da administradora, devendo ser redobrada na época de verão, viagens, visitas e aluguéis de curta duração.

E então, gostou das informações? Seu condomínio toma atitudes especiais durante as férias? Quais? Compartilhe com a gente nos comentários!

× How can I help you?
gestão de condomíniorecebimento-de-encomendas