Veja como não errar na prestação de contas do condomínio

Uma das tarefas mais importantes e delicadas da rotina de síndicos e administradoras é a prestação de contas do condomínio. Afinal, trata-se de um documento que abrange as finanças dos condôminos e o orçamento do prédio para todos os investimentos e despesas. Nesse sentido, é fundamental trabalhar com o máximo de transparência possível para evitar problemas.

Para que a prestação de contas seja realizada, é necessário que os gestores deem andamento ao processo de forma organizada e produtiva — em outras palavras, é preciso saber exatamente o que deve ser exposto aos condôminos.

A seguir, saiba o que deve constar no documento e confira dicas valiosas para manter o máximo de precisão e transparência na prestação de contas condominial!

 

A importância-chave da prestação de contas condominial

Vale lembrar que demonstrar exatamente como está sendo aplicada a taxa condominial é uma responsabilidade central de síndicos e administradoras.  A prestação de contas está prevista no próprio Código Civil, o que ressalta ainda mais sua importância.

No documento, constam todas as despesas e receitas ao longo do ano, o que resulta em um retrato completo das movimentações financeiras realizadas durante a gestão. Oferecendo a transparência e a justificativa contábil que é direito dos condôminos, essa tarefa reflete a integridade e o comprometimento da administração.

 

Como organizar uma prestação de contas do condomínio bem-sucedida?

Alguns itens são fundamentais na formulação de uma prestação de contas eficiente. Prazos e toda a documentação que comprova as despesas e receitas devem ser incluídos e devidamente divulgados, sendo que a gestão deve disponibilizar o documento em modelo físico ou online.

A seguir, confira o passo a passo para não errar na prestação de contas do condomínio:

1. Reúna a documentação necessária

O primeiro passo do processo é levantar todos os documentos essenciais para a elaboração dos relatórios de entradas e saídas do condomínio. Para tanto, é preciso compilar os seguintes dados:

  • despesas ao longo de todo o ano, separadas mensalmente;
  • receitas ao longo de todo o ano, separadas mensalmente;
  • saldo financeiro ou extrato da conta do condomínio;
  • situações de inadimplência do condomínio, se houver;
  • seguros e certificados obrigatórios;
  • certidões negativas do condomínio relacionadas à Receita Federal e ao FGTS;
  • gastos com alguma reforma ou manutenção que fugiu das despesas mensais;
  • qualquer outra pendência que seja pertinente considerar.

2. Crie os relatórios

Depois de separados todos esses documentos, é o momento de preparar todos os relatórios que serão apresentados e devem compor a prestação de contas. São eles:

  • relatório de orçamento;
  • relatório de receitas;
  • relatório de despesas;
  • balancete;
  • relação de inadimplências.

Esses relatórios geralmente demonstram como a gestão do síndico/administradora lidou com todo o dinheiro que entrou e que saiu do caixa do condomínio, bem como todo o controle financeiro das dívidas ao longo do ano.

Fora isso, a administração deve apresentar quaisquer possíveis ocorrências e riscos que o condomínio possa estar atravessando, sempre primando pela transparência para que os condôminos entendam os motivos de possíveis gastos necessários e inusitados.

É o caso, por exemplo, de obras ou intervenções programadas, além de multas ou autuações que o condomínio tenha sofrido por parte de órgãos fiscalizadores e também da prefeitura, ou até mesmo processos judiciais.

 

3. Repasse os dados ao conselho fiscal

Atuando de forma complementar ao trabalho do síndico e da administradora, o conselho fiscal é um órgão que analisa o quadro de finanças do condomínio e recomenda ou não a aprovação das contas.

Vale lembrar que o conselho é composto por condôminos eleitos por votação nas assembleias (com a maioria do público presente). Os requisitos para candidatura devem constar na convenção.

Acompanhando o trabalho do síndico e da administradora, o conselho deve estar a par da situação contábil do condomínio e contratar um serviço de auditoria sempre que houver suspeita de fraudes ou irregularidades.

 

4. Apresente a prestação de contas

Por fim, chega o momento mais importante e decisivo: a apresentação da prestação de contas. Todos os condôminos devem receber um parecer bastante detalhado do documento, com os devidos relatórios. Na hora da apresentação na assembleia, é importante que a gestão busque, ao máximo, facilitar o entendimento de todos.

Para tanto, é interessante apostar em uma apresentação mais objetiva, com exposição dos pontos centrais da prestação de contas e o máximo possível de recursos visuais. Dessa forma, o síndico evita confusões sobre os dados informados e a reunião fica bem menos cansativa.

Vale ressaltar que, após a apresentação, é essencial que os condôminos aprovem as movimentações financeiras, também por meio de votação. Depois da análise das despesas do último ano e da previsão orçamentária para os próximos 12 meses, é preciso que eles aprovem, reprovem ou aprovem parcialmente as contas.

 

Conte com um bom software de gestão para otimizar o processo!

Diante da importância e da complexidade da tarefa, contar com tecnologia especializada na prestação de contas é um apoio imprescindível para síndicos e administradoras.

Sistemas condominiais de gestão financeira, como o Condomínio21, centralizam todas as informações e comprovantes contábeis digitalmente, facilitando o acesso aos dados e a organização de despesas passadas e futuras.

Além disso, são funcionalidades do sistema:

  • Conformidade com as normas do PAR (CEF);
  • Mais de 15 modelos de balancete, criados a partir de parâmetros definidos pelo usuário;
  • Movimentação anual por centro de custo.

Gostou das nossas dicas? Esperamos que o conteúdo seja útil para sua administração! Continue a acompanhar o blog para mais novidades!

×

Hello!

Click one of our representatives below to chat on WhatsApp or send us an email to operacoes@groupsoftware.com.br

× Como posso te ajudar?
marketing-digital-para-imobiliariatecnologias-para-condominio