Como fazer um bom planejamento financeiro para condomínios?

Garantir o controle sobre as finanças é essencial para que objetivos da administradora sejam alcançados. Neste post, você vai aprender a manter um bom planejamento financeiro para condomínios.

Essa prática é fundamental para a manutenção dos serviços oferecidos aos condôminos com a qualidade que se espera. Também, para manter a segurança e a cobertura em caso de imprevistos que venham a acontecer. Isso que inclui, até mesmo, a possível inadimplência no condomínio.

Entretanto, quando falamos de planejamento financeiro para condomínios, devemos nos lembrar de que existem alguns detalhes que vão além. Vamos te mostrar!

Faça um diagnóstico das contas do condomínio

Como em qualquer planejamento financeiro, o primeiro passo é fazer um levantamento de todas as despesas fixas, variáveis e receitas recorrentes com as quais o condomínio lidará. Comece verificando quantas unidades estão pagando a taxa de condomínio em dia e, se houver inadimplentes, quais são os valores em atraso.

Se existirem outras fontes de receita, como a locação de espaços para festas, elas também devem ser contabilizadas, lembrando que elas podem ou não acontecer todos os meses. Em seguida, é preciso listar todas as despesas fixas, como água, energia elétrica das áreas comuns, salários de colaboradores, compra de materiais de limpeza e escritório etc.

Existem despesas fixas que não são mensais, como manutenção de fachada e elevadores, que são feitas trimestral, semestral ou, até mesmo, anualmente. Nesse caso, o recomendado é fazer um rateio mensal para que o valor referente a elas fique reservado.

Com essas informações em mãos, torna-se possível descobrir quanto o condomínio ganha e o que gasta. Desse modo, haverá condições de entender se há a necessidade de cortes nas despesas ou aumento nas taxas cobradas dos condôminos.

Entenda as necessidades para planejamento financeiro para condomínios

Em muitos casos, a falta de planejamento financeiro para condomínios leva a problemas não resolvidos no local, como obras de melhorias que são necessárias e não são feitas por falta de verba, ou até mesmo, dívidas acumuladas.

Porém, a partir do momento em que se começa a planejar a utilização dos recursos financeiros, a solução desses problemas se torna possível. O primeiro passo é orçar tudo o que precisa ser feito e destinar um percentual mensal para isso.

Também é preciso ter atenção às sazonalidades, como o consumo de água, que tende a ser maior durante o verão, ou ainda, o pagamento de diretos trabalhistas, como férias e 13º salário. Tudo isso deve estar previsto no planejamento financeiro para condomínios.

O mesmo vale para as dívidas, que devem ser renegociadas e pagas o quanto antes para evitar problemas jurídicos que poderiam trazer ainda mais despesas.

Fique de olho na inadimplência

A inadimplência dos condôminos é um dos principais motivos de desajustes na gestão financeira de condomínios. Por isso, é preciso estar muito atento a esse ponto, pois quanto maior se tornar a dívida, mais difícil será pagá-la.

Oferecer acordos de renegociação, descontos dos juros e parcelamentos das dívidas podem ser boas maneiras de conseguir receber. Assim, esse dinheiro poderá ser utilizado na quitação de pendências do condomínio.

Controle o fluxo de caixa

Em qualquer administração de condomínios, é imprescindível a existência de um caixa para imprevistos. Por isso, é necessário que as datas de vencimento das contas estejam distribuídas de acordo com as de recebimento das taxas de condomínio. Do mesmo modo, as compras de materiais também devem ser feitas em datas que não prejudiquem o fluxo de caixa, deixando-o zerado.

Mantenha um fundo de reserva

Além do caixa sempre positivo, é fundamental que o condomínio mantenha um fundo de reserva para manutenções e mudanças estratégicas no condomínio.

Por exemplo, obras de manutenção e, até mesmo, de revitalização. Muitas delas devem ser feitas periodicamente, mas com intervalos mais longos e que têm como principal objetivo a valorização dos imóveis. É o caso da substituição de elevadores por modelos mais modernos.

Use um software para otimizar a gestão financeira

A melhor maneira de manter tudo isso que você acabou de ler em ordem é com a ajuda de um sistema de gestão financeira especializado em condomínios. Por meio dele, o planejamento financeiro se tornará algo menos complexo e mais intuitivo.

Sem contar que, com a centralização dos dados em um só local, o gestor terá uma visão holística da real situação do condomínio, de quais são os seus problemas e de onde estão as oportunidades para resolvê-los.

Por exemplo, o controle de inadimplentes se torna muito mais fácil por meio de um software, assim como o acompanhamento do fluxo de caixa. Por isso, a aquisição de um ERP (Enterprise Resource Planning) ou de uma plataforma de gestão para condomínios deve ser o primeiro passo do planejamento financeiro.

Contrate de uma empresa especializada

Por fim, contar coma a ajuda de uma empresa especializada na gestão de condomínios é uma excelente opção para manter as finanças sempre em dia. Ela conta com profissionais qualificados, que já estão familiarizados com as rotinas e com os processos envolvidos no planejamento financeiro de condomínios.

Como você viu, uma boa gestão só é possível com um bom planejamento financeiro para condomínios. Ela não se limita a pagar e receber contas mensalmente, mas inclui, principalmente, a precaução contra imprevistos e o investimento em melhorias.

Agora que você já sabe da importância do planejamento financeiro para condomínios e como ele se torna mais simples com o uso de um software especializado, entre em contato conosco e descubra como podemos ajudar nesse assunto!

×

Hello!

Click one of our representatives below to chat on WhatsApp or send us an email to operacoes@groupsoftware.com.br

× Como posso te ajudar?
aplicativo para área do condominosistema para administrar condomínios