Confira 7 dicas para ajudar na conservação patrimonial em condomínios

A conservação patrimonial não trata apenas de garantir a integridade das estruturas do condomínio e a manutenção para aquilo que está estragado ou faltando. Na verdade, é graças à conservação patrimonial que os moradores têm segurança garantida, área de lazer confortável e investimento certo nos interesses dos residentes.

É preciso que todos os envolvidos na gestão do condomínio — síndico e administrador — saibam a importância e a extensão dos impactos que uma boa conservação patrimonial deve proporcionar.

Neste post, listamos sete dicas importantes sobre o assunto. Confira!

1. Faça planejamentos

O planejamento é necessário para qualquer processo administrativo, principalmente quando lidamos com a propriedade dos outros — como é o caso da gestão de condomínios. Portanto, nossas dicas para manter uma boa conservação patrimonial começam aqui.

Quando fazemos o planejamento financeiro para o condomínio, estamos nos prevenindo de surpresas e nos preparando para investimentos importantes, tais como manutenção predial, aquisição de novos equipamentos ou melhorias para as áreas comuns.

Pensando nisso, alguns condomínios alugam o topo do prédio para a instalação de antenas, arrecadando valores que podem ser utilizados nessas situações (que muitas vezes nos pegam desprevenidos).

As férias escolares chegam e muitas famílias viajam, deixando o condomínio com um trânsito menor de residentes e muitas casas vizinhas vazias, dando motivação suficiente para pessoas mal-intencionadas tentarem entrar onde não devem.

No entanto, há muitas famílias que ficam em casa com seus filhos durante as férias, e isso pode gerar reclamações dos moradores, criando conflitos e problemas de convivência.

Tanto para a questão de segurança quanto para a tranquilidade dos condôminos, é importante planejar o que será feito durante as férias. Considere realizar uma manutenção preventiva nos equipamentos de vigilância, como câmeras, sensores de movimento, equipamentos de gravação e software de monitoramento.

Para a criançada, é importante pensar em atividades em grupo, que podem ser desenvolvidas nas áreas comuns do condomínio. Peças de teatro ao ar livre, caminhadas, idas a parques próximos e campeonatos na quadra de esportes são ótimas opções.

É possível envolver toda a família nessas tarefas. Os pais que têm conhecimentos culinários podem se responsabilizar pelas aulas, assim como os que levam jeito com trabalhos manuais podem cuidar de oficinas de artesanato.

Leia Mais: Como um plano de manutenção preventiva pode reduzir gastos no condomínio?

2. Invista para valorizar

A valorização de imóveis é importante para os condomínios, pois isso aumenta o valor das unidades e atrai mais moradores, mantendo capacidade completa de lotação. Pense em:

  • Estilizar a fachada do prédio;
  • Renovar as cores utilizadas na frente do condomínio;
  • Contratar um profissional paisagista para cuidar das áreas comuns;
  • Fazer um jardim na frente do prédio;
  • Plantar árvores;
  • Iluminar áreas estratégicas para destacar o nome e o número do condomínio.

3. Pense em sustentabilidade

Muitos condomínios e associações de bairro estão adotando a sustentabilidade como meta da conservação patrimonial. Eles estão pensando na economia, pois essas ações evitam o desperdício de energia elétrica e água, mas principalmente ajudam a preservar o meio ambiente.

Pense em ações que podem ser feitas com os moradores, como:

  • Dicas de bom uso espalhadas nas áreas comuns;
  • Horários para uso dos pontos de água da área comum;
  • Sistemas de captação e reuso de água;
  • Vistorias das vias hidráulicas para prevenir vazamentos e infiltrações;
  • Troca de lâmpadas comuns por lâmpadas de LED;
  • Disponibilização de lixeiras para cada tipo de material, facilitando a reciclagem;
  • Utilização de restos de alimentos para adubar o jardim;
  • Luzes que acendem e apagam automaticamente, ativadas tanto por movimentação quanto duração da noite.

4. Priorize a segurança

A segurança condominial deve ser prioridade para os administradores de residenciais, pois ela é fator determinante para a atração de novos locatários, além de garantir que todos os moradores estejam seguros.

Pense em sistemas de monitoramento em áreas estratégicas, como:

  • Garagens;
  • Entrada do prédio;
  • Entrada do elevador;
  • Acessos das escadas.

Para melhorar a segurança e manter a conservação patrimonial, vale a pena investir na portaria automatizada, assim como em câmeras que gravam e armazenam as imagens na nuvem — impedindo que criminosos deletem o que foi filmado.

Além da prevenção de perdas pela ação de pessoas mal-intencionadas, também é preciso pensar na segurança dos moradores em relação a outros perigos, como infestação de insetos, infiltrações na estrutura do prédio e acidentes.

Portanto, pense em:

  • Sinalizar áreas em comum com indicações de estacionamento, piscina, tráfego de carros e outros locais que sejam de risco eminente;
  • Aplicar produtos para impermeabilizar as áreas mais afetadas por chuvas fortes e presença constante de água, como o topo do prédio, ao redor da piscina e pontos de rachadura;
  • Fazer campanhas para prevenir a reprodução do mosquito da dengue;
  • Dedetizar áreas afetadas por infestações.

5. Foque no conforto dos moradores

O quão o seu prédio está preparado atualmente para receber um morador que tem dificuldades de locomoção? Seu condomínio é equipado com rampas ou piso tátil?

É importante que todos os moradores sintam-se bem-vindos no condomínio, tendo acessibilidade a todas as áreas. Dessa forma, pense em instalar pisos táteis para auxiliar os deficientes visuais, assim como rampas com corrimão para os cadeirantes e outras pessoas com dificuldade de locomoção.

Outro ponto que gera conforto e bem-estar para os moradores são as áreas de lazer. Pense na conservação patrimonial e revitalize os pontos de passamento, programando uma manutenção como pinturas e troca de equipamentos e estruturas — bancos, brinquedos, calçadas, quadras de esporte e áreas verdes, por exemplo.

Caso haja algum espaço no condomínio que não seja bem aproveitado, não hesite em se reunir com os moradores e decidir uma nova função, reorganizando o ambiente e trazendo mais utilidade para as áreas comuns.

6. Atente para os processos de manutenção

É importante conhecer o processo de inspeção predial para garantir uma boa conservação patrimonial. Além disso, é imprescindível fazer um planejamento para que cada área seja atendida adequadamente e dentro do prazo. Veja o tempo de manutenção para algumas dependências do condomínio:

Diária

  • Elevadores — buscando curto-circuitos, possíveis falhas de sistema e outras irregularidades.
  • Piscina — limpeza, verificação de vazamentos e infiltrações, cobertura da piscina quando não estiver em uso e verificação do acesso à área por crianças desacompanhadas.
  • Sistemas de segurança — verificação do funcionamento adequado dos equipamentos.
  • Jardim — regas das plantas.

Semanal

  • Piscina — manutenção da água, como qualidade e nível do pH.
  • Bombeiros — carga dos extintores, obstrução das saídas de emergência, localização de mangueiras e extintores, funcionamento dos rociadores de incêndio.

Mensal

  • Jardins — adubagem, poda de árvores e corte de grama.
  • Luzes — verificação do funcionamento.

Além disso, pense nas áreas de lazer como prioritárias para receber a manutenção preventiva, assim como o reparo da sua estrutura. Esses locais, afinal, são bastante utilizados pela comunidade condominial, além de gerar conforto e bem-estar aos residentes.

7. Invista em tecnologia

Para ajudar na conservação patrimonial, é importante contar com sistemas especializados de gestão, pois são ideais para lidar com as tarefas diárias — como controle de inadimplentes, arquivo de contratos, compras e folha de pagamento.

Os sistemas mais modernos contam com banco de dados para registrar o histórico de interações com os condôminos, assim como fornecedores e clientes. Além disso, esses sistemas de gestão condominial contam com recursos de contabilidade, facilitando tarefas básicas, como folhas de pagamento e processos de compras.

A conservação patrimonial é um processo que deve ser cíclico — constante e repetitivo —, garantindo a valorização do empreendimento, assim como das unidades. Os moradores são agentes importantes nesse processo, então não se esqueça de envolvê-los em algumas atividades, como o planejamento das férias e o comprometimento com ações sustentáveis.

Quer conferir mais dicas para uma gestão otimizada de condomínios? Aproveite para ler nosso artigo contando as principais tarefas de uma gestão condominial eficiente!

× Como posso te ajudar?
atendimento-via-whatsapp