5 ações práticas para começar a tornar seu condomínio sustentável

Seu condomínio é sustentável? O que você – como síndico, gestor de administradora ou morador – tem feito para melhorar essa realidade?

Ao contrário do que se pode pensar, aplicar medidas ecológicas não exige grandes revoluções na administração ou no dia a dia dos condôminos. Pequenas atitudes, implementadas aos poucos (mas com consistência), promovem impactos muito significativos na vida coletiva condominial e, é claro, no meio ambiente.

É evidente que, quanto mais assertivas e transformadoras forem as transformações sustentáveis, melhor! Se seu condomínio conseguir reunir os esforços e os recursos necessários para operar grandes mudanças (como criar uma horta comunitária ou instalar energia solar), isso é excelente para a comunidade local e para o ecossistema como um todo.

Aqui, no entanto, nosso objetivo central é destacar ações simples, práticas e realizáveis para começar a tornar seu condomínio sustentável. O processo com certeza vale a pena!

Vamos lá?

Por um Condomínio Sustentável: 5 práticas para iniciar já!

1- Atenção ao gasto de água: reuso da água da chuva e outras alternativas

Não há como falar em sustentabilidade sem pensar no uso racional de um dos nossos recursos naturais mais valiosos: a água.

Muito além do impacto positivo na taxa do condomínio, a economia de água tem um valor imensurável na construção de um condomínio mais sustentável e consciente. Uma primeira medida é instalar medidores individuais de água (e também gás), estimulando a redução do consumo.

Reutilizar a água é outra ação relativamente simples e que gera grandes resultados. Os sistemas que captam a água da chuva (que pode ser utilizada para a limpeza das áreas comuns e regar os jardins) são cada vez mais acessíveis. Analise a estrutura e as possibilidades do seu condomínio e considere seriamente essa instalação.

2- Descarte consciente de resíduos: coleta seletiva e compostagem

A produção do lixo é outro ponto crítico dos condomínios, que costumam abrigar um grande número de pessoas. Toda essa comunidade, naturalmente, produz resíduos. O descarte desses produtos, porém, pode ser muito mais sustentável.

A coleta seletiva é a medida mais básica. É essencial que o condomínio disponibilize essa coleta para todos os apartamentos, minimizando a quantidade de resíduos destinados ao aterro sanitário e também reduzindo a extração de matéria-prima (já que grande parte desses materiais pode ser reciclada).

Além de levar a ação à assembleia, uma ação importante é identificar um órgão responsável por coletar os resíduos separados para reciclagem (como a própria prefeitura, ONGs, cooperativas e institutos ecológicos).

Compostagem para resíduos sólidos

Já ouviu falar em compostagem? Trata-se de um processo que transforma resíduos em adubo ou biofertilizante, que por sua vez podem ser utilizados nas áreas verdes do condomínio. Toda a matéria orgânica gerada no condomínio (como restos e cascas de alimentos) podem ser compostados.

Para o processo, é utilizada uma composteira, um recipiente próprio com terra. Nos condomínios, a compostagem pode ser doméstica (com a instalação de uma composteira para cada apartamento) ou coletiva.

Na opção coletiva, uma alternativa é construir uma composteira de baixo custo na área comum. Um funcionário ou pessoa encarregada pode se responsabilizar por coletar a matéria orgânica dos apartamentos e cuidar da manutenção do processo.

3- Manutenção preventiva

Sim, a famosa manutenção preventiva nos condomínios também é ecológica! O processo, que é realizado para impedir ou reduzir as falhas nos equipamentos do condomínio, permite economizar no orçamento condominial e também evitar grandes problemas estruturais.

Seu caráter sustentável, porém, acontece porque a manutenção preventiva é fundamental para evitar desperdícios. Através da revisão da infraestrutura do prédio, é possível descobrir se há vazamentos em encanamentos, problemas elétricos e danos hidráulicos, por exemplo.

4- Instalação de caixas de gordura nos apartamentos

As caixas de gordura são altamente eficientes para reter gorduras e óleos de fritura. Sua utilização, assim, evita o entupimento das redes públicas de esgoto e, consequentemente, contribuem para a eficiência das estações de tratamento.

5- Troca de torneiras

Na assembleia condominial, proponha fazer uma troca geral das torneiras comuns por torneiras com temporizador, com fechamento automático após o uso.

As torneiras automáticas são uma ótima opção para os ambientes comuns do condomínio, como salão de festas e banheiros da academia. Os moradores que se inspirarem com a ideia também podem fazer a troca em seus apartamentos.

Dicas Extras

  • Se houver uma churrasqueira na área de lazer do condomínio, considere trocá-la por uma que funciona através de gás natural, ou seja, não libera fuligem;
  • Instalar sensores de presença para iluminação;
  • Trocar todas as lâmpadas das áreas comuns por lâmpadas LED;
  • Varrer pátios, estacionamentos e calçadas, eliminando o uso de água sempre que possível. As áreas comuns podem ser lavadas com água de reuso da chuva;
  • Se couber no orçamento do condomínio, considere a instalação de placas solares e/ou mesmo a construção de um telhado verde.

E então, gostou das dicas? Sua gestão condominial já pratica alguma das ações acima? Esperamos que o artigo inspire seu condomínio a adotar atitudes cada vez mais sustentáveis!

×

Hello!

Click one of our representatives below to chat on WhatsApp or send us an email to operacoes@groupsoftware.com.br

× Como posso te ajudar?
seguranca-para-criancas-em-condominioslei-do-inquilinato